<strong>O serviço “Prime” de assinatura, que inclui entrega rápida e transmissão de filmes e programas de TV, será oferecido por por um preço reduzido de 5,99 dólares por mês para esses clientes</strong>

<img class=”alignnone size-full wp-image-3650″ src=”http://www.futeboleua.com/wp-content/uploads/2017/06/Find_Prime._CB331800185_-1.jpg” alt=”” width=”1024″ height=”576″ />

O site Amazon.com anunciou nesta terça-feira que vai oferecer um desconto em seu serviço de assinatura Prime para consumidores que recebem ajuda do governo norte-americano, visando uma base de clientes importante para o rival Wal-Mart.

Segundo a Amazon, o serviço de 10,99 dólares por mês ou 99 dólares por ano — que inclui entrega rápida, além de streaming de filmes e programas de TV — passará a sair por 5,99 dólares mensais para pessoas que recebem assistência governamental, incluindo programas de bem-estar social e alimentos.

O movimento do varejista online desafia diretamente o Wal-Mart — maior beneficiário do Programa de Assistência Nutricional Suplementar (<a href=”https://en.wikipedia.org/wiki/Supplemental_Nutrition_Assistance_Program”>SNAP</a>, na sigla em inglês) — no qual ao menos um a cada cinco clientes paga com vale-alimentação.

<img class=”alignnone size-full wp-image-3648″ src=”http://www.futeboleua.com/wp-content/uploads/2017/06/amazon-prime-boxes-1.jpg” alt=”” width=”1024″ height=”576″ />

&nbsp;

As assinaturas Prime têm sido a chave da estratégia de crescimento da Amazon, à medida que o serviço encoraja os assinantes a comprarem mais, com mais frequência.

Consumidores com cartões válidos de Transferência Eletrônica de Benefícios (<a href=”https://en.wikipedia.org/wiki/Electronic_benefit_transfer”>EBT</a>, na sigla em inglês), que recebem auxílio de programas sociais, e no programa de Assistência Temporária para Famílias Necessitadas (<a href=”https://en.wikipedia.org/wiki/Temporary_Assistance_for_Needy_Families”>TANF</a>, na sigla em inglês) poderão receber o desconto, disse a Amazon.

Por <a href=”http://www.reuters.com/”>Reuters</a>